BEM-AVENTURADOS AQUELES QUE SERVEM JESUS CRISTO NA PESSOA DO IRMÃO NECESSITADO (São Gregório de Nazianzo, bispo)

Diz a Escritura: “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” (Mt 5,7). A misericórdia não é certamente a última das bem-aventuranças. Lemos também: “Feliz de quem pensa no pobre e no fraco” (Sl 40,2). E ainda: “Feliz o homem caridoso e prestativo” (Sl 111,5). E noutro lugar: “O justo é generoso e dá esmola” (Sl 36,26). Tornemo-nos dignos destas bênçãos, de sermos chamados misericordiosos e cheios de bondade.

Nem sequer a noite interrompa a tua prática de misericórdia. Não digas: “Vai e depois volta, amanhã te darei o que pedes”. Não se deve interpor entre a tua resolução e o bem que vais fazer. Só a prática do bem não admite adiamento.
“Reparte o teu pão com o faminto, acolhe em tua casa os pobres e peregrinos” (Is 58,7), com alegria e presteza. “Quem se dedica a obras de misericórdia”, diz o Apóstolo, “faça-o com alegria” (Rm 12,8). Essa presteza e solicitude duplicarão a recompensa da tua dádiva. Mas o que é dado com tristeza e de má vontade não se torna agradável nem é digno.

Devemos alegrar-nos, e não entristecer-nos, quando prestamos algum benefício. Diz a Escritura: “Se quebrares as cadeias injustas e desligares as amarras do jugo” (Is 58,6), isto é, da avareza e das descriminações, das suspeitas e das murmurações, que acontecerá? A tua recompensa será grande e admirável! “Então, brilhará a tua como a aurora e tua saúde há de recuperar-se mais depressa” (Is 58,8). E quem há que não deseja a luz e a saúde?

Por isso, se me julgais digno de alguma atenção, vós, servidores de Cristo, seus irmãos e co-herdeiros, em todas as ocasiões visitemos a Cristo, alimentemos Cristo, tratemos as feridas de Cristo, vistamos a Cristo, acolhamos a Cristo, honremos a Cristo; não apenas oferecendo-lhe uma refeição, como fizeram alguns, não apenas ungindo-o com perfumes como Maria, não apenas dando-lhe o sepulcro como José de Arimatéia, não apenas dando o necessário para o sepultamento como Nicodemos que dava a Cristo só uma parte do seu amor, nem, finalmente, oferecendo ouro, incenso e mirra, como fizeram os magos, antes de todos esses. O Senhor do universo quer a misericórdia e não o sacrifício, e a compaixão tem maior valor que milhares de cordeiros gordos. Ofereçamos a misericórdia e a compaixão na pessoa dos pobres que hoje na terra são humilhados, de modo que, ao deixarmos este mundo, eles nos recebam nas moradas eternas, juntamente com o próprio Cristo nosso Senhor, a quem seja dada a glória pelos séculos dos séculos. Amém.

(Dos Sermões de São Gregório de Nazianzo, bispo do séc. IV).

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: