Martírio dos 350 monges de São Maron

Martírio dos 350 monges de São Maron

Depois que São Maron morreu, muitos foram inspirados por seus ensinamentos e seu estilo de vida ascético. No quinto século, um mosteiro foi construído perto de onde ele viveu conhecido como Bet Maroun. O mosteiro tornou-se muito significativo na região. Também no quinto século, surgiu um debate sobre a natureza de Jesus. O debate centrou-se em saber se Jesus era divino, humano ou ambos e exatamente o que isso significava. Alguns, como os nestorianos, argumentaram que Jesus era separadamente divino e humano e que as duas naturezas eram independentes. Outros, como os jacobitas, ensinaram que Jesus era apenas divino e sua divindade absorvia sua natureza humana.Em 451, O Concílio de Calcedônia tratou o debate de uma vez por todas, declarando que Cristo era divino e humano, mas uma pessoa.Os maronitas sustentaram a proclamação do Concílio de Calcedônia. Os monges de São Maron lideraram o caminho pregando a verdadeira doutrina e se opondo à heresia. Aprendemos sobre o martírio dos 350 monges em uma carta dos monges ao papa Hormisdas no ano de 517. Eles descreveram o sofrimento e os ataques que estavam sofrendo, particularmente dos patriarcas de Antioquia Severo e Pedro que se opuseram aos ensinamentos do Concílio de Calcedônia. . Eles descreveram que foram ridicularizados por seu apoio ao Concílio e estavam sofrendo de aflições. O descrito como o imperador Anastácio mandou um exército que marchou através do distrito de Apamea fechando mosteiros e expulsando os monges. Alguns monges foram espancados e outros foram jogados na prisão. Enquanto se dirigiam a São Simão Estilita, os maronitas foram emboscados e 350 monges foram mortos, embora alguns deles tivessem se refugiado no altar. O mosteiro foi queimado. A carta foi assinada por Alexandre, sacerdote e arquimandrita e mais de 200 outras assinaturas seguidas, de outros arquimandritas, sacerdotes e diáconos.Oramos que, como os 350 mártires, possamos sempre ser obedientes aos ensinamentos da Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica.Que suas orações estejam sempre conosco. Amém

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: