Questão de Galileu: Os mitos e os fatos

fafe08d3aa279b7c98b380f600f967fb.jpg

A IGREJA

O incidente de Galileu prova que a Igreja Católica não é infalível

Mostra também que o catolicismo se opõe à ciência devido ao seu dogmatismo aristotélico

Resposta inicial

As proclamações errôneas da Igreja sobre o Galileo, erroneamente mal interpretadas, não destroem a doutrina da infalibilidade, uma vez que os fatos são devidamente examinados.

Resposta extensa

A censura do astrônomo Galileu (1564-1642) em 1616 e 1633 pode ser o mais notório e famoso erro católico de todos os tempos, e o conto favorito (repleto de mitos) daqueles que acreditam que religião e ciência são inexoravelmente opostos. O dogma católico nunca consagrara o geocentrismo, e Galileu (um católico fiel) havia sido apoiado por muitos clérigos notáveis, incluindo três papas.

De fato, seu biógrafo Giorgio de Santillana declarou que “é sabido há muito tempo que grande parte dos intelectuais da igreja estava do lado de Galileu, enquanto a mais clara oposição a ele vinha de idéias seculares” The Crime of Galileo, University of Chicago Press, 1955, xii-xiii). Mas o cientista (embora basicamente correto) era excessivamente confiante e bastante obstinado em proclamar sua teoria científica como verdade absoluta, e essa era uma grande preocupação.

Assim, São Roberto Belarmino, que esteve diretamente envolvido na controvérsia, deixou claro que o heliocentrismo não foi irreversivelmente condenado, e também que uma teoria ainda não comprovada não era um fato inatacável. Belarmino realmente teve a compreensão superior da natureza de uma hipótese científica. Galileu era cientificamente falível também. Ele sustentava que todo o universo girava em torno do sol em órbitas circulares (não elípticas) e que as marés eram causadas pela rotação da Terra. O verdadeiro heliocentrismo não foi conclusivamente provado até cerca de 200 anos depois. O papa João Paulo II pediu desculpas pelo erro dos filhos da Igreja, mas o Santo Ofício o fez em 1825, e as obras escritas de Galileu foram permitidas em 1741.

Muito mais embaraçoso e numeroso fiasco “Bíblia vs. Ciência” no mundo protestante não são tão conhecidos. Martinho Lutero chamou Copérnico de “astrólogo iniciante” em 1539, apelando para Josué 10:13 como prova de que o sol se move. Seu sucessor, Filipe Melanchthon, achava que Copérnico exibia uma falta de “honestidade e decência”, embora fosse um ávido entusiasta da astrologia. João Calvino “provou” o geocentrismo do Salmo 93: 1, e sustentou que a crença em uma terra em rotação “perverteria a ordem da natureza”. François Turretin, John Owen e muitos puritanos seguiram o exemplo.

Os filósofos católicos, por outro lado, como Nicolau Oresme (c. 1325-1382) e Nicolau de Cusa (1401-1464) já há muito haviam proposto uma terra em movimento, e a esfericidade da Terra fora ensinada ainda mais cedo por Santo Alberto Magno, São Tomás de Aquino e Dante. A Universidade Protestante de Tübingen condenou o heliocentrismo do grande astrônomo luterano Johann Kepler (1571-1630), não muito antes do incidente de Galileu. Leibniz, o filósofo luterano (1646-1716) atacou a teoria da gravitação de Newton.

Objeção

Mas Galileu também não foi preso e torturado pela Inquisição, a fim de levá-lo a se retratar de sua teoria?

Resposta à objeção

Em 1633, Galileu foi “encarcerado” no palácio de Niccolini, o embaixador no Vaticano da Toscana, que admirava Galileu, passou cinco meses com o arcebispo Piccolomini em Siena e depois viveu em ambientes confortáveis com amigos para o resto de sua vida (tecnicamente sob “prisão domiciliar”). Nenhuma evidência existe para provar que ele foi realmente submetido a tortura ou deliberadamente cegado (ele perdeu a visão em 1637).

A Enciclopédia Católica


”Foi um homem da igreja, Nicolau Copérnico, que primeiro desenvolveu a primeira avançada e controversa teoria de que o sol, e não a terra, é o centro do nosso sistema, ao redor do qual nosso planeta gira, girando em seu próprio eixo. Sua grande obra, De Revolutionibus orblure coelestium, foi publicada sob a sincera solicitação de dois renomados clérigos, o cardeal Schomberg e Tiedemann Giese, bispo de Chełmno. Foi dedicada com permissão ao papa Paulo III para, como Copérnico explicou, poder ser protegido dos ataques que certamente encontraria por parte dos “matemáticos” (isto é, filósofos). . . Nem Paulo III, nem nenhum dos nove papas que o seguiram, nem as Congregações Romanas, levantaram qualquer alarme. . . Pode-se dizer que tanto Paulo V como Urbano VIII se comprometeram com a doutrina do geocentrismo de modo a impô-la à Igreja como um artigo de fé, e assim ensinar como papa o que agora é reconhecido como falso? Que ambos os pontífices eram convencidos anti-copernicanos não pode ser postos em dúvida, nem que eles acreditavam que o sistema copernicano não fosse bíblico e desejavam sua supressão. A questão é, no entanto, se qualquer um deles condenou a doutrina ex cathedra. Isso, é claro, eles nunca fizeram. Quanto ao decreto de 1616, vimos que foi emitido pela Congregação do Index, que não pode levantar nenhuma dificuldade em relação à infalibilidade, sendo este tribunal absolutamente incompetente para fazer um decreto dogmático. Nem é o caso alterado pelo fato de que o papa aprovou a decisão da Congregação de forma comum, isto é, na medida necessária para o propósito pretendido, a saber, proibir a circulação de escritos julgados prejudiciais. . . . Quanto ao segundo julgamento, em 1633, tratava-se não tanto da doutrina como da pessoa de Galileu, e de sua manifesta quebra de contrato em não se abster da propaganda ativa das doutrinas copernicanas. A sentença, por sua vez, passou a implicar claramente uma condenação do copernicanismo, mas não fez nenhum decreto formal sobre o assunto e não recebeu a assinatura do papa.”

(Vol. VI, 1909, “Galileo Galilei”, John Gerard)


Tradução: http://www.patheos.com/blogs/davearmstrong/2015/10/galileo-the-myths-and-the-facts.html

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: