SANTO É O TEMPLO DE DEUS, QUE SOIS VÓS (Santo Ambrósio, bispo)

Eu e o Pai viremos e faremos nele nossa morada [cf. João 14,23; 1 Coríntios 6,19-20]. Franqueia, então, a tua porta ao que vem, abre tua alma, alarga o íntimo de tua mente para veres as riquezas da simplicidade, os tesouros da paz, a doçura da graça. Dilata o coração e corre ao encontro do sol, da eterna luz, a que ilumina a todo homem. Esta luz verdadeira brilha para todos. Mas, se alguém fecha as janelas, priva-se da eterna luz. Assim também Cristo é repelido se fechas a porta de teu espírito. Embora possa entrar, não quer ser importuno, não quer entrar à força. Recusa-se a usar de coação [cf. Apocalipse 3,20]!

Nascido da Virgem, ele saiu do seio, irradiando luz sobre o mundo inteiro, refulgindo para todos [cf. Mateus 4,16; Lucas 2,10-12; João 8,12]. Os que desejam, acolhem a claridade inextinguível que noite alguma interrompe. Pois à do sol que vemos diariamente, sucede a noite escura; mas o sol da justiça jamais se põe, porque à sabedoria não sucede a maldade [cf. Números 24,17; Malaquias 3,20 ou 4,2; Isaías 60,1; Lucas 1,78-79 .

Feliz aquele a cuja porta Cristo bate [cf. Apocalipse 3,20]. Nossa porta é a fé, que, quando sólida, defende a casa toda. Por esta porta Cristo entra. Daí dizer a Igreja no Cântico: “A voz de meu irmão bate à porta. Escuta o que bate, escuta o que deseja entrar: Abre para mim, minha irmã esposa, minha pomba, minha perfeita, porque tenho a cabeça coberta de orvalho e meus cabelos, das gotas da noite” [Cânticos dos Cânticos 5,2].

Observa que o Deus Verbo bate à porta principalmente quando sua cabeça está coberta de orvalho noturno. Digna-se visitar os atribulados e tentados, para que não sucumbam às amarguras. A cabeça cobre-se de orvalho e de gotas quando o corpo sofre. Importa, portanto, vigiar para não ficar excluído à chegada do Esposo. Se dormes e o teu coração não vigia, afasta-se antes de bater. Se o teu coração está vigilante, bate e pede ser-lhe aberta a porta [cf. Mateus 7,7-12; 26,41-42; Marcos 13:35-37; Lucas 21,34-35].

Possuímos a porta de nossa alma, possuímos também portais sobre os quais se diz: “Levantai, príncipes, vossos portais, erguei-vos, portas eternas, e entrará o Rei da glória” [Salmo 23(24), 7-10]. Se quiseres levantar os portais de tua fé, entrará em ti o Rei da glória, trazendo a vitória de sua paixão. Tem também portas a justiça. Delas lemos o que disse o Senhor Jesus por meio de seu profeta: “Abri-me as portas da justiça” [cf. Salmo 117(118),19-20; Isaías 26,2].

Há quem tenha portas, há quem tenha portais. A essas portas Cristo bate, bate aos portais. Abre, então, para ele; quer entrar, quer encontrar vigilante a Esposa [cf. Apocalipse 3,20].

(Do Comentário sobre o Salmo 118, de Santo Ambrósio, bispo – Nn. 12,13-14: CSEL 62,258-259 – Séc. IV).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: