INSTRUÇÕES SOBRE OS RITOS DEPOIS DO BATISMO (Santo Ambrósio, bispo)

Em seguida banhado nas águas do Batismo, subiste em direção ao sacerdote. Pensa no que se seguiu. Não foi aquilo que Davi cantou: “Como o bálsamo na cabeça que desce pela barba, pela barba de Aarão” [Salmos, 132(133),2]? É o mesmo bálsamo de que fala Salomão: “Bálsamo derramado é o teu nome, por isto as jovens te amaram e te atraíram” [Cânticos dos Cânticos 1,3]. Quantas almas renovadas hoje te amam, Senhor Jesus, dizendo: “Atrai-nos em teu seguimento, correremos ao odor de tuas vestes, para que respirem o odor da ressurreição” [cf. Gênesis 27,27; Cânticos dos Cânticos 4,11-15; Salmos, 44(45),8-9].

Entende de que modo se faz, “pois os olhos do sábio estão em sua cabeça” [Eclesiastes 2,14]. A unção escorre pela barba, isto é, pela beleza da juventude; pela barba de Aarão para te tornares da “raça eleita, sacerdotal, preciosa” [cf. Êxodo 19,6; 1 Pedro 2,9]. Porque todos no reino de Deus somos também ungidos pela graça espiritual para o sacerdócio. Recebeste depois a veste branca, indício de teres despido a crosta dos pecados e revestido a casta túnica da inocência, lembrada pelo Profeta quando diz: “Asperge-me com o hissopo e serei limpo, lavar-me-ás e serei mais branco do que a neve” [Salmos, 50(51),9]. Ora, quem é batizado vê-se purificado pela lei e pelo Evangelho: segundo a lei, porque como um ramo de hissopo Moisés aspergia o sangue do cordeiro; segundo o Evangelho, porque eram brancas como a neve as vestes de Cristo quando revelou a glória de sua ressurreição [cf. Êxodo 12; Hebreus 9,22; 1 Coríntios 5,7; Mateus 17,1-13, Lucas 9,28-36]. Mais do que a neve se torna alvo aquele a quem se perdoa a culpa. O Senhor, por intermédio de Isaías, diz: “Se vossos pecados forem como a púrpura, eu os alvejarei como a neve” [cf. Isaías 1,18-19].

Trazendo esta veste, recebida no banho do novo nascimento, a Esposa diz, nos Cânticos: “Sou escura e formosa, filhas de Jerusalém” [Cântico do Cânticos 1,5]. Escura, pela fragilidade da condição humana; formosa pela graça. Escura, por vir dentre os pecadores; formosa, pelo sacramento da fé. Vendo tais roupas, exclamam estupefatas as filhas de Jerusalém: “Quem é esta que sobe tão alva? Ela era escura; donde lhe veio agora de repente este brilho” [Cântico dos Cânticos [Cântico do Cânticos 6,10]?

Cristo, que assumira uma veste sórdida, como se pode ler em Zacarias, por causa de sua Igreja, ao vê-la em vestes brancas, com a alma pura e lavada pelo banho do novo nascimento, diz: “Como és formosa, minha irmã, como és formosa, teus olhos parecem-se com os da pomba” [Cântico dos Cânticos 4,1], sob cuja forma desceu do céu o Espírito Santo.

Lembra-te então que recebeste a marca espiritual, “o Espírito de sabedoria e de inteligência, o espírito de conselho e de força, o espírito de ciência e de piedade, o espírito do santo temor” [Isaías 11, 1-3]. Guarda o que recebeste. Deus Pai te assinalou, o Cristo Senhor te confirmou e deu o penhor do Espírito em teu coração, como aprendeste com a leitura do Apóstolo [cf. 2 Coríntios 1,21-22; 5,5, Efésios 1,13-14; 4,30].

(Do Tratado sobre os Mistérios, de Santo Ambrósio, bispo – Nn. 29-30.34-35.37.42: SCh 25 bis,172-178 – Séc. IV).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: