Para Narses, Patrício [Epístolas de S. Gregório Magno: Livro I, 6].

Para Narses, Patrício.

Gregório para Narses, etc.

Ao descrever com orgulho a doçura da contemplação, vocês renovaram os gemidos do meu estado caído, já que ouço o que perdi interiormente enquanto me elevava para fora, embora não merecesse, para a altura mais alta da regra. Sabei, então, que estou sofrendo com tão grande tristeza que mal posso falar; pois as sombras escuras da tristeza bloqueiam os olhos da minha alma. O que quer que seja visto é triste, tudo o que é considerado prazeroso parece lamentável para o meu coração. Pois eu reflito a que altura de avanço externo abatido eu montei ao cair da alta altura do meu descanso. E, sendo enviado pelos meus defeitos para o exílio de emprego da face do meu Senhor, eu digo com o profeta, nas palavras, como se de Jerusalém fosse destruída, Aquele que deveria me consolar partiu longe de mim Lamentações 1:16 . Mas quando, procurando uma semelhança para expressar minha condição e título, você enquadra períodos e declamações em sua carta, certamente, querido irmão, você chama um macaco de leão. Aqui vemos que você faz o que costumamos fazer quando chamamos cães sarnentos leopardos ou tigres. Pois eu, meu bom homem, perdi meus filhos, por assim dizer, porque através dos cuidados terrenos perdi as obras da justiça. Portanto, não me chame Noemi, isso é justo; mas chama-me Mara, porque estou cheio de amargura Rute 1:20. Mas quanto ao seu dizer que eu não deveria ter escrito: “Que você deve arar com búfalo no campo do Senhor”, visto que quando no lençol mostrado para o abençoado Pedro tanto búfalos e todos os animais selvagens foram apresentados à vista; você conhece a si mesmo o que é Acrescentado, Mate e coma Atos 10:13. Você, então, que ainda não havia matado essas bestas, por que você já desejava comê-las através da obediência? Ou você não sabe que a besta sobre a qual você escreveu se recusou a ser morta pela espada da sua boca? Você precisa, então, satisfazer a fome de seu desejo com aqueles a quem você foi capaz de picar e matar (Lit., para matar por compunção).

Além disso, quanto ao caso de nossos irmãos, penso que, se Deus der socorro, será como você escreveu. Não era, no entanto, de modo algum, o certo para eu escrever sobre isso, no momento, aos nossos senhores mais serenos, já que, desde o início, não se deve começar com reclamações. Mas escrevi ao meu bem-amado filho, o diácono Honorato, que ele deveria mencionar o assunto a eles de maneira adequada em um horário razoável, e prontamente me informar de sua resposta. Eu imploro saudações a serem dadas em meu nome ao senhor Alexandre, o senhor Teodoro, meu filho Marino, a senhora Esicia, a senhora Eudoquia e a senhora Dominica.


Translated by James Barmby. From Nicene and Post-Nicene Fathers, Second Series, Vol. 12. Edited by Philip Schaff and Henry Wace. (Buffalo, NY: Christian Literature Publishing Co., 1895.) Revised and edited for New Advent by Kevin Knight. <http://www.newadvent.org/fathers/360201006.htm&gt;.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: