O ÚNICO MEDIADOR

O ÚNICO MEDIADOR

Aqui temos uma das grandes objeções dos Protestantes contra o culto à Santíssima Virgem, invocada pelos católicos, sob o título de medianeira.

Logo eles nos apresentam o texto de São Paulo: “só há um Deus, e só há um mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo homem (1 Timóteo 2,5).

Nós católicos aceitamos este texto e pretendemos observá-lo em todo o rigor da sua expressão, porém é preciso dar-lhe o valor que lhe é próprio e não atribuir-lhe uma significação que não tem, nem pode ter.

CRISTO MEDIADOR

Só há um Deus, diz São Paulo, é só há um mediador entre Deus e os homens.

Esta verdade é repetida diversas vezes pelo Apóstolo ( Gálatas 3,20; Hebreus 8,6; 9,15; 12,24), esse mediador Jesus Cristo, homem (1Timóteo 2,5).

Eis uma verdade básica, que católicos e protestantes aceitam integralmente e sem discussão.

De onde vem a discordância? Unicamente pela tendência perversa dos protestantes em querer protestar, até nos pontos onde não há possibilidade de protesto, nem sombra de protesto. Nunca a Igreja Católica demitiu outro mediador entre Deus e os homens, senão Jesus Cristo; e isso pela razão admiravelmente resposta pelo apóstolo: Cristo nos deu um novo testamento, mas, onde há um Testamento, é necessário que intervenha a morte do testador; pois o testamento não se confirma se não quanto aos mortos (Hebreus 9, 16-27).

Tudo isso é positivo, e claro. — Por que então discutir?

Cristo ofereceu-se, morreu derramando seu sangue divino, e por isso é mediador do novo testamento (Hebreus 9,15).

Por que os católicos invocam a Imaculada Mãe de Jesus, como medianeira das Graças?

Eis que a palavra “medianeira”, aplicada a Virgem Maria, levanta e exalta a natural aversão ou agressão dos Protestantes a mãe de Deus.

Não havia razão para isso, pois os católicos não perturbam em nada a ordem estabelecida e não pretendem, como julgam os amigos Protestantes, colocar outro mediador ao lado de Cristo.

Qual a sessão da nota simplesmente uma ignorância muito grande, ou então, a resolução de querer protestar.

MARIA SANTÍSSIMA MEDIANEIRA

O único mediador entre Deus e os homens Jesus Cristo. Note bem, amigo protestante, pois é aqui a base do erro Protestantes. Os católicos colocam a Santíssima virgem não diretamente entre Deus e os homens, mas sim entre Cristo e os homens: essencialmente.

A teologia católica diz: Mediatrix ad Christum mediator em, isto é: medianeira junto a Cristo mediador. Deste modo, Cristo é o único mediador entre Deus e os homens; e a Virgem Maria é uma medianeira junto a Cristo; em outros termos: o mediador principal e perfeito é Cristo; sendo Maria Santíssima uma medianeira ministerial e dispositiva.

Nesse sentido todos os santos são intercessores, medianeiros junto a Cristo, sendo a virgem santa, pela sua qualidade de mãe de Deus, de um modo mais excelente e mais eficaz.

Eis uma doutrina muito simples é muito lógica.
Deus, o pai é senhor de tudo.
Jesus Cristo, único mediador entre Deus e os homens.
Maria Santíssima, medianeira entre Cristo e os homens, de um modo mais excelente, mas na mesma ordem que todos os santos.

O NECESSÁRIO E ÚTIL

Podíamos mostrar, com outros argumentos, a lógica e o fundamento desta mediação, dizendo que a mediação de Jesus Cristo é uma mediação necessária, e, a da virgem santa, uma mediação útil.

Esta comparação de Carlos de Laet. Podemos dizer que sem água não podemos viver; a água é, pois, necessária: porém podemos ir buscar esta água ao longe, na fonte, como nos pode ser transmitida por encanamento, e chegar, deste modo, até dentro de casa, poupando-nos fadigas e tempo, para ir captá-la em cima dos montes. Tal encanamento não é necessário, porém útil.

Imagine-se agora que um homem venha dizer-nos: “não vos é necessário para encanamento; urge, pois, destruí-lo, porque necessária é só nascente”.

Que diria o meu amigo protestantes outro homem? Diria, por certo, o que o católico dirá:”É verdade que só a água me é necessária, porém o encanamento é de suma utilidade”.

Eis o que ensina a Igreja Católica. Só a mediação de Cristo é necessária mas a da Virgem santa é sumamente útil, Cristo é a nascente, a fonte.
Maria Santíssima é o canal, que ônibus transmite a água cristalina da Graça divina: “Aquaeductus gratiarum”, como dizem os teólogos e os santos padres.

OUTRA COMPARAÇÃO

Suponhamos, aos amigos Protestantes, que o Presidente da república governar-se sozinho a sua pátria, auxiliado apenas por um ministro de confiança, por cujas mãos passagem todas as nomeações de cargos inferiores.

Então, tal ministro seria, deste modo, o único mediador entre o presidente e o povo.

Suponhamos que tal ministro tenha junto de si sua mãe, a quem muito estima, sem que ela tome parte na direção dos negócios públicos.

Um belo dia, eis que o protestante precisa de um emprego, de um favor qualquer. Que faria o amigo? Usaria de um pouco de diplomacia, podendo entrar em relação com a mãe do ministro, falaria com ela, para que intercedesse junto ao filho, a fim de alcançar o benefício almejado.

Não seria isso lógico, natural? depois de ministro ficar ofendido por não ter o suplicante recorrido diretamente a ele? De certo modo não. Ao contrário, o pedido do amigo Protestante, apresentado ao ministro pela própria mãe, adquirira duplo valor: o do pedido e o da intercessão.

Assim fazem os católicos. Reconhecem, que Deus é a fonte e o autor de todo o bem; reconhecem que Jesus é o único medianeiro necessário, mas reconheceem que, junto a ele, tem um valor extraordinário a sua santíssima Mãe, e recorrem a ela como medianeira secundária de grande utilidade, para que interceda por ele junto ao Divino Filho.

CONCLUSÃO

Podemos ver, e demonstrar aos Protestantes, que é inútil citar textos da Bíblia, para provar uma verdade que a Igreja Católica reconhece aceita.

É Inútil refutar objeções, que só existem na cabeça daqueles que as fabricam sem indagar ou saber se o que eles questionam não existe, ou tem, pelo menos, qualquer razão de existir.

De que serve o provar que o sol existe, quando ninguém nega sua existência?

Por que atribuir à Igreja Católica erros que ela não possui, ou doutrinas que não professa?

Peço, pois, reter bem esta conclusão, que o senhor protestantes quer provar sem que ninguém o negue: “Só há um Deus, só há um mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo homem” ( 1Timóteo 2,5).

Os Santos, por ser amigos de Deus, são intercessores junto a Deus, porém secundariamente.

Acima de todos os santos, elevada pela sua dignidade de Mãe de Deus, está a Virgem Santíssima; verdadeira medianeira entre Jesus e os homens, medianeira entre Deus e os homens, pois o seu filho é Deus; porém medianeira secundária, não absolutamente necessário, porém sumamente útil para nós homens.

Eis Porque os católicos têm a duras penas apresentar-se a Jesus Cristo, acompanhados pela virgem santa, para, deste modo, darem mais valor às suas preces e serei melhor acolhidos pelo único mediador necessário, que é o Cristo, o filho de Maria.

como Isto é lógico, suave, consolador e, sobretudo, esperançoso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: