O Significado de ”Quaresma” e ”Páscoa”

https://i2.wp.com/shamelesspopery.com/media/2019/03/Battle_Between_Carnival_and_Lent_by_Jan_Miense_Molenaer-700x520.jpg

Em muitos idiomas, o termo para esta estação significa algo como “O Jejum” ou “ Tempo de Jejum”. Não é assim com o inglês. Acabamos por nomear a estação Lencten, a palavra do inglês antigo para “primavera”. Do Dicionário Etimológico:


Lent (n.) “Período entre a quarta-feira de cinzas e a Páscoa”, final 14c, abreviação de Lenten (n.) “Os quarenta dias de jejum antes da Páscoa” no calendário cristão (início do ano 12), do Inglês Antigo lencten ”primavera”, a estação, também ”o jejum da Quaresma”, do germânico ocidental * langitinaz“ dias longos ”ou“ prolongamento do dia ”(fonte também do lentind do saxão antigo, lenten médio-holandesa, Antigo Alto-Germânico lengizin manoth ).


O Dicionário Etimológico observa que as palavras holandesa (lente) e alemã (Lenz) para a primavera vêm dessa mesma raiz, mas que “o sentido da Igreja é peculiar ao inglês”. Os holandeses chamam essa época litúrgica de Vasten (“O Jejum”) e os alemães chamam-lhe Fastenzeit (“tempo de jejum”). Esta abordagem muito pragmática para nomear as estações cristãs se estende à Páscoa, em um exemplo ainda mais bizarro:


Easter (n.) Antigo Inglês Easterdæg, de Eastre (Eostre Nortúmbriano), do Proto-Germânico * austron-, “Alvorecer”, também o nome de uma deusa da fertilidade e primavera, talvez originalmente do nascer do sol, cuja festa foi celebrada no equinócio de primavera, de * aust– “east, em direção ao nascer do sol” (compare a leste), da raiz de PIE * aus– (1) “brilhar”, especialmente do amanhecer. Beda diz que os cristãos anglo-saxões adotaram o nome dela e muitas das práticas de celebração para a missa da ressurreição de Cristo. Quase todas as línguas vizinhas usam uma variante do latim Pascha para nomear este feriado (veja paschal).


Assim, enquanto praticamente todas as outras culturas, chmaram a Páscoa, seguindo a Páscoa judaica, Pasch, os cristãos ingleses decidiram nomeá-la após uma deusa pagã. Exceto que não é tão simples assim. A única fonte que temos para isso é o Venerável Beda, em seu livro de 725, O Reconhecimento do Tempo. Lá, ele explica a história do nome “Eosturmonath”, um mês que corresponde aproximadamente a abril:


Eosturmonath tem um nome que agora é traduzido como “mês pascal” e que uma vez foi chamado em honra a uma deusa deles chamada Eostre, em cuja honra as festas eram celebradas naquele mês. Agora eles designam a estação Pascal pelo seu nome, chamando as alegrias do novo rito pelo nome consagrado pelo tempo da antiga observância.


Aqui está o que eu gosto sobre esses nomes extremamente estranhos. A primavera é uma época de vida nova e é uma época de limpeza de primavera. Você passa todo o inverno confinado em sua casa e começa a acumular coisas que você realmente não quer. E assim você abre as portas e janelas, limpa a poeira e a desordem e abre espaço para o novo. Tudo ao seu redor é (espero) uma temporada de vida nova. Tudo começa a florescer e crescer. Os fazendeiros ingleses antigos estavam sintonizados com isso de uma forma que nós, habitantes das cidades modernas, não costumamos fazer. Então eles levaram a primavera a sério, e agradeceram ao Céu por isso. Antes de aprender sobre Cristo, eles dirigiram aquela ação de graças a Eostre. Quando ouviram falar do cristianismo, de repente tiveram muito mais vida nova para agradecer … não apenas as árvores florescentes, mas uma nova vida espiritual que floresceria na eternidade.

Essa é uma maneira bonita de entender a Quaresma. É o começo da primavera, tanto uma época de limpeza de primavera quanto uma época de nova vida. Em última análise, é uma época de olhar para frente, um momento de plantar sementes e fazer um trabalho duro para que você possa desfrutar de uma colheita abundante mais tarde.

Para leitores menos atentos, talvez isso ajude. Se você vai ter um jantar incrível, você pode pular (ou acelerar) o almoço. Por quê? Para desfrutar da próxima refeição ao máximo. Sim, pode ser um pequeno sacrifício durante o meio do dia, mas vale muito a pena se você sabe que vai gostar muito do jantar. Uma pessoa (ou um povo) incapaz ou indesejoso de querer fazer isso não está limitando o quanto eles sofrem com o jejum. Eles estão limitando o quanto eles podem aproveitar o banquete do jantar.

Considere o famoso experimento Stanford Marshmallow de Walter Mischel:


Mischel e seus colegas apresentaram uma criança em idade pré-escolar com um prato de doces como marshmallows. A criança foi então informada de que o pesquisador tinha que sair da sala por alguns minutos, mas não antes de dar à criança uma escolha simples: se a criança esperasse até que a pesquisadora retornasse, ela poderia ter dois marshmallows. Se a criança simplesmente não pudesse esperar, ela poderia tocar uma campainha e o pesquisador voltaria imediatamente, mas só lhe seria permitido um marshmallow.


Nas crianças, assim como nos adultos, a força de vontade pode ser pensada como uma habilidade básica para retardar a gratificação. Crianças em idade pré-escolar com bom autocontrole sacrificam o prazer imediato de um marshmallow mastigável para se entregar a dois marshmallows em algum momento posterior. Os ex-fumantes perdem o prazer de fumar um cigarro para ter boa saúde e evitar um risco maior de câncer de pulmão no futuro. Os compradores resistem a gastar muito no shopping para economizar uma aposentadoria confortável. E assim por diante.

Assim, a Quaresma é uma época profundamente cristã, enraizada no jejum de 40 dias de Cristo (Mateus 4: 2) e no jejum de 40 dias de Elias (1 Reis 19: 8), mas também é uma época profundamente humana.

Vivemos em uma cultura de instantânea gratificação, mas praticamente tudo que é significativo na vida requer disciplina e esforço. Você não precisa acreditar na minha palavra. Basta considerar o que você realmente valoriza: ter sucesso em seu trabalho, obter notas fixas, boa temporada de esportes, entrar em forma etc. etc. Seja lá o que for, você provavelmente já descobriu que é mais fácil fracassar do que ter sucesso, e o que vem fácil e o que vale a pena fazer muitas vezes não é a mesma coisa. Uma vez que você tenha feito isso e esteja comprometido em fazer o melhor, e não a coisa mais fácil, você está pronto para a Quaresma. O cristianismo nos propõe a maior coisa de todas. O Papa Bento XVI explica esta promessa, e como estamos sendo preparados para isso, em Spe Salvi:


Santo Agostinho, em uma homilia da Primeira Carta de João, descreve muito belamente a íntima relação entre oração e esperança. Ele define a oração como um exercício de desejo. O homem foi criado para a grandeza – para o próprio Deus; ele foi criado para ser preenchido por Deus. Mas seu coração é pequeno demais para a grandeza à qual está destinado. Deve ser esticado. “Ao atrasar [seu dom], Deus fortalece nosso desejo; através do desejo ele amplia nossa alma e, expandindo-a, aumenta sua capacidade [de recebê-lo] ”. Agostinho se refere a São Paulo, que fala de si mesmo como se esforçando para as coisas que estão por vir (cf. Filipenses 3:13). Ele então usa uma imagem muito bonita para descrever esse processo de ampliação e preparação do coração humano. “Suponha que Deus deseja enchê-lo de mel [um símbolo da ternura e bondade de Deus]; mas se você está cheio de vinagre, onde você vai colocar o mel? ”O vaso, que é o seu coração, deve primeiro ser ampliado e depois limpo, liberto do vinagre e do seu sabor. Isto requer trabalho duro e é doloroso, mas só assim nos tornamos adequados àquilo para o qual estamos destinados.


Esta é a lógica da cruz, como Bento em outra parte explica:


Cristo não prometeu uma vida fácil. Aqueles que desejam conforto marcaram o número errado. Em vez disso, ele nos mostra o caminho para as grandes coisas, o bem, em direção a uma vida humana autêntica.


Quando ele fala da cruz que nós mesmos temos que carregar, não tem nada a ver com o gosto pela tortura ou pelo moralismo pedante. É o impulso do amor, que tem seu próprio ímpeto e não busca a si mesmo, mas abre a pessoa ao serviço da verdade, da justiça e do bem. Cristo mostra Deus para nós e, portanto, a verdadeira grandeza do homem.

Assim, ao começarmos a estação da Quaresma, afastarmo-nos do mundo do conforto e nos prepararmos para o mundo da Grandeza, a verdadeira Grandeza e a vossa Quaresma será uma autêntica primavera.


Tradução:

The Meaning of “Lent” and “Easter” (Is Probably Not What You Think)
Disponível em: http://shamelesspopery.com/the-meaning-of-lent-and-easter-is-probably-not-what-you-think/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: