AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS (PARTE III)

AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS (PARTE III)O Concílio de Trento8) Concílio de Trento (XIX ecumênico) a) Decreto Cum hoc tempore (sess. VI - 13/01/1547)O Concílio de Trento voltou três vezes ao tema do purgatório. Em ordem cronológica, a primeira foi em 1547 a propósito da justificação; não se falou então dele ex professo, mas não era possível... Continuar Lendo →

𝐀 𝐄𝐒𝐂𝐀𝐓𝐎𝐋𝐎𝐆𝐈𝐀 𝐂𝐎𝐋𝐄𝐓𝐈𝐕𝐀

𝐀 𝐄𝐒𝐂𝐀𝐓𝐎𝐋𝐎𝐆𝐈𝐀 𝐂𝐎𝐋𝐄𝐓𝐈𝐕𝐀Nos textos anteriores tratamos principalmente da escatologia individual, o que foi verificado através de documentos; no Vaticano II, ao contrário, em que tudo é envolvido e animado pela idéia de Igreja como povo de Deus, preferiu-se deslocar o acento para as últimas realidade coletivas, sociais e até cósmicas.𝐂𝐎𝐍𝐂Í𝐋𝐈𝐎 𝐕𝐀𝐓𝐈𝐂𝐀𝐍𝐎 𝐈𝐈 (XXI ecumênico) 𝗖𝗼𝗻𝘀𝘁𝗶𝘁𝘂𝗶çã𝗼... Continuar Lendo →

AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS (PARTE II)

Da Benedictus Deus (Bento XII) a Exsurge Domine (Leão X)4) Constituição Benedictus Deus de Bento XII (29/01/1336)A Constituição Benedictus Deus de Bento XII é um dos documentos mais importantes do Magistério sobre escatologia; deram-lhe ensejo alguns sermões pronunciados por João XXII, seu predecessor que, a título pessoal e como doutor privado, havia pregado na Festa... Continuar Lendo →

AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS (PARTE I)De I Constantinopla a II LyonII. A RETRIBUIÇÃO

AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS (PARTE I)De I Constantinopla a II LyonII. A RETRIBUIÇÃORessurreição não significa retribuição. Os documentos do Magistério, segundo o ensinamento da Bíblia (cf. Jo 5, 28-29), falam de ressurreição universal; todos os homens, todos os mortos, todos incluindo, portanto, os bem aventurados e os condenados. Quanto ao momento da ressurreição, refere-se o Magistério... Continuar Lendo →

AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS

AS REALIDADES ESCATOLÓGICASAs realidades últimas (εσχατον ) são as realidades posteriores à vida terrena do homem e à história da humanidade. O mundo e o homem são obras de Deus, por Ele livremente criados', a Ele ordenados numa teleologia sublime que, em última análise, não é outra coisa senão a história da salvação. O homem... Continuar Lendo →

O CULTO DOS SANTOS

O CULTO DOS SANTOS A Igreja sempre venerou aqueles homens e mulheres (os santos) que, de modo eminente, viveram as virtudes cristãs. A rigor, o culto que a Igreja presta aos santos é dirigido ao próprio Deus, porque neles se manifesta Sua obra, o culto aos santos não é porém, exclusivamente relativo, como poderia ser,... Continuar Lendo →

A ALMA MORRE?

A ALMA MORRE? De onde veio essa idéia de sono da alma e de aniquilação segundo as seitas? Vou utilizar material dos próprios protestantes para mostrar a confusão que é esse meio: Foi defendido pela primeira vez por Arnobius de Sicca (c. 327 dC), Arnobius nascido um pagão e por muitos anos foi um oponente... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑