A SIMBOLOGIA DA REVOLUÇÃO E DA MAÇONARIAO triângulo

O triânguloNeste artigo iremos tratar de um símbolo que causa muita confusão. Essa confusão é fruto da mais pura ignorância e má formação. Dentro do contexto revolucionário havia uma necessitados recrutar aqueles que estavam fora dos círculos internos, os revolucionários se inspiraram outro símbolos pitagórico de grande importância: o triângulo. Se o círculo sugeria o... Continuar Lendo →

A SIMBOLOGIA DA REVOLUÇÃO E DA MAÇONARIA

Como estamos verificando nos textos anteriores, uma imensa série de nomes e imagens foi tirada da antiguidade clássica para legitimar a nova fé revolucionária. Dois nomes relativamente negligenciados tiveram importância central para o desenvolvimento de uma identidade ideal em meio aos intelectuais revolucionários: a imagem do revolucionário como um Pitágoras moderno e de seu ideal... Continuar Lendo →

AS ORIGENS OCULTAS DA REVOLUÇÃO

A gnose revolucionáriaA visão de mundo primitiva dos revolucionários como uma luta dualista entre as forças das trevas e da luz pode ter se originado na concepção dos seguidores de Weishaupt de que seu grupo de eleitos, de “iluminados”, travava uma batalha contra “os filhos das trevas”, o nome categórico que davam ao mundo exterior.... Continuar Lendo →

AS ORIGENS OCULTAS DA REVOLUÇÃO

O ambiente da maçonariaContinuando nosso estudo sobre a relação maçonaria/Revolução:Vamos verificar a abordagem da organização revolucionária de Buonarroti, verificasse que esta fosse muito além de qualquer modelo maçônico, ela foi claramente influenciada pelo período de cinco anos de imersão em lojas maçônicas que ele passou em Genebra. Tão grande, na verdade, foi o impacto da... Continuar Lendo →

𝐀 𝐄𝐒𝐂𝐀𝐓𝐎𝐋𝐎𝐆𝐈𝐀 𝐂𝐎𝐋𝐄𝐓𝐈𝐕𝐀

𝐀 𝐄𝐒𝐂𝐀𝐓𝐎𝐋𝐎𝐆𝐈𝐀 𝐂𝐎𝐋𝐄𝐓𝐈𝐕𝐀Nos textos anteriores tratamos principalmente da escatologia individual, o que foi verificado através de documentos; no Vaticano II, ao contrário, em que tudo é envolvido e animado pela idéia de Igreja como povo de Deus, preferiu-se deslocar o acento para as últimas realidade coletivas, sociais e até cósmicas.𝐂𝐎𝐍𝐂Í𝐋𝐈𝐎 𝐕𝐀𝐓𝐈𝐂𝐀𝐍𝐎 𝐈𝐈 (XXI ecumênico) 𝗖𝗼𝗻𝘀𝘁𝗶𝘁𝘂𝗶çã𝗼... Continuar Lendo →

AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS (PARTE II)

Da Benedictus Deus (Bento XII) a Exsurge Domine (Leão X)4) Constituição Benedictus Deus de Bento XII (29/01/1336)A Constituição Benedictus Deus de Bento XII é um dos documentos mais importantes do Magistério sobre escatologia; deram-lhe ensejo alguns sermões pronunciados por João XXII, seu predecessor que, a título pessoal e como doutor privado, havia pregado na Festa... Continuar Lendo →

AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS (PARTE I)De I Constantinopla a II LyonII. A RETRIBUIÇÃO

AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS (PARTE I)De I Constantinopla a II LyonII. A RETRIBUIÇÃORessurreição não significa retribuição. Os documentos do Magistério, segundo o ensinamento da Bíblia (cf. Jo 5, 28-29), falam de ressurreição universal; todos os homens, todos os mortos, todos incluindo, portanto, os bem aventurados e os condenados. Quanto ao momento da ressurreição, refere-se o Magistério... Continuar Lendo →

AS REALIDADES ESCATOLÓGICAS

AS REALIDADES ESCATOLÓGICASAs realidades últimas (εσχατον ) são as realidades posteriores à vida terrena do homem e à história da humanidade. O mundo e o homem são obras de Deus, por Ele livremente criados', a Ele ordenados numa teleologia sublime que, em última análise, não é outra coisa senão a história da salvação. O homem... Continuar Lendo →

O CULTO DOS SANTOS

O CULTO DOS SANTOS A Igreja sempre venerou aqueles homens e mulheres (os santos) que, de modo eminente, viveram as virtudes cristãs. A rigor, o culto que a Igreja presta aos santos é dirigido ao próprio Deus, porque neles se manifesta Sua obra, o culto aos santos não é porém, exclusivamente relativo, como poderia ser,... Continuar Lendo →

PADRE DA FSSPX REFUTA PADRE CALDERÓN

A EXTREMA DIREITA: O "MAGISTEROVACANTISMO"O título certamente fará o leitor sorrir. Na verdade, talvez este tenha sido o único “-ismo” ainda ausente entre os muitos que pontilharam a galáxia tradicionalista na era pós-conciliar (foram cunhados os termos sedevacantismo, sedeprivacionismo, anticonciliarismo e certamente muitos outros que escapam àqueles que, como este autor, geralmente preferem se ater... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑